A oferta de “nada” de Abel

3 de novembro de 2015

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

LAYOUT 2

No capítulo 4:1-8 do livro de Gênesis, é narrada a famosa história de Caim e sua oferta, e Abel e sua oferta. 

Muitos se prendem nos detalhes da oferta, mas esquecem que a oferta é nada mais, que uma representação física, da percepção, e compreensão dos ofertantes de si mesmos e de Deus.

Se não compreendemos os ofertantes e Deus, no contexto apresentado, não poderemos usufruir do Evangelho da Graça. Que Deus ilumine sua mente para entender, assim como eu Creio que Ele me iluminou para escrever.

No verso 1 é narrado o nascimento de Caim. Eva fica feliz, pois apesar de ter se rebelado contra Deus, ela recebe o auxílio divino para ter essa criança. Não fica claro no texto, que tipo de socorro, Deus prestou a Eva, mas a falta de detalhes escritos, são suprimidos pela declaração de Eva: “Com o auxílio do Senhor tive um filho homem”.

Mas é necessário deixar claro, que qualquer ação por parte de Deus, por menor que fosse, já seria mais do que Eva merecia.

Não falo assim porque Deus seja mesquinho, muito pelo contrário, Deus é extremamente misericordioso e compassivo, todavia, Adão e Eva, diante da proposta de viverem sobe a tutela de Deus o rejeitaram, em busca de ilusões e mentiras da perversa serpente.

Não foi Deus que quis ou buscou o mal para eles, eles, que como loucos, buscaram subsistir, fora da regra da existência. A saber: A vontade de Deus.

Apesar disso Tudo. Ali está Deus, ajudando a quem lhe disse não. Deus está ali, derramando graça (favores não merecidos) para quem lhe disse não.

No verso 2 é narrado o nascimento de Abel (Mais uma graça). Essa descrição de nascimento tem menos detalhes, que o anterior. Porque? Ora, assim como Deus cooperou com o nascimento de Caim, está subtendido que Ele cooperou com o nascimento de Abel.

O mesmo versículo, demonstra que os meninos cresceram, e que cada um seguiu sua vida e ofício. Abel tornou-se pastor e Caim um agricultor.

Na maturidade, ambos se apresentam diante de Deus, com ofertas, frutos de suas habilidades.

Aqui começaremos a decifrar e a diferenciar suas ofertas através da mente de Abel e a mente de Caim.

Muitos analisam a história somente pelas ofertas, as mesmas são importantes, porém, estão longe de ser a solução, do porquê Abel e sua oferta foram aceitos e Caim e sua oferta não.

O texto descreve, que Caim da sua plantação ou horta, traz um fruto em oferta.
Abel, do seu rebanho, separou das primícias, as partes gordas. Ou seja, trouxe carne de primeira qualidade.

Muitos dizem que as ofertas são o fato determinante. Abel trouxe algo melhor e valioso, já Caim não teve esse cuidado. 
Porém, Como disse antes: AS OFERTAS SÃO IMPORTANTES, MAS NÃO SÃO O X DA QUESTÃO.

Se o caso se resumisse somente no valor das ofertas em si mesmas, OK. Abel Ganharia nos conceitos de qualidade e esmero.

Mas pergunto: POR MAIS VISUALMENTE EXCELENTE QUE FOSSE A OFERTA DE ABEL, QUE VALOR TEM PEDAÇOS DE ANIMAIS MORTOS, PARA O DEUS CRIADOR DE TUDO?

Asafe, um dos principais musicistas do Rei Davi, no Salmo 50 declarou sobre Deus:

“Pois são meus todos os animais do bosque e as alimárias aos milhares sobre as montanhas.
Conheço todas as aves dos montes, e são meus todos os animais que pulam no campo.
Se eu tivesse fome, não to diria, pois, o mundo é meu e quanto nele se contém.
Acaso, como eu carne de touros? Ou bebo sangue de cabritos? ”

No Capítulo 17 do livro de Atos, Paulo, discursando em Atenas, nos ensinou que Deus fez o mundo, e que Ele não é servido por mãos humanas, como se de nós precisasse, ou de nós dependesse sua existência.

Há muitos textos que aqui poderiam ser citados, todavia, é unanime na palavra, a não dependência Deus, em relação aos homens ou quaisquer criaturas. Na verdade, nós somos dependentes Dele. Pois nele nos movemos e existimos. (Atos 17: 28)

Como pode Abel ter mérito diante de Deus, oferecendo um animal que Deus mesmo criou?
Mas Daniel, ele que cuidou do bichinho?
Como pode Abel ter mérito diante de Deus, por exercer faculdades que o próprio Deus capacitou? 
Como pode Abel ter mérito diante de Deus, sendo que todo o seu cuidado, seria em vão, se Deus não sustentasse pelo seu poder, as leis da manutenção da vida?
Como pode Abel ter mérito diante de Deus, quando a sua existência, é resultado direto da benevolência, paciência e amor do Deus, que permitiu e auxiliou que ele nascesse?

Digo sem medo de errar. Abel e sua oferta, por si mesmas, não podem ter valor diante de Deus.

Mas como isso é possível?

Essa “incoerência” é esclarecida no Livro de Hebreus.

Hebreus 11: 4. “PELA FÉ, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim; pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo a aprovação de Deus quanto ás suas ofertas. Por meio dela, também mesmo depois de morto, ainda fala.

Pela Fé. Essa é causa de Abel e sua oferta serem aceitos.

O próprio autor de Hebreus descreve a fé de forma inigualável.
“Ora, a fé é a certeza de cousas que se esperam, a convicção de fatos que não se veem.”

Porque Abel e sua oferta foram aceitos?

Lembram quando eu disse que não se entende a oferta, sem antes entender o ofertante? Entendam Abel a luz do Evangelho.

Abel se tornou aceitável, pois compareceu diante de Deus com uma oferta, mas no seu coração, ele sabia que aquilo era nada. Abel sabia que sua existência e suas faculdades eram resultados dos favores não merecidos do Deus, que sendo extremamente misericordioso e compassivo o permitiu nascer, crescer e o dotou com as capacidades para ser um pastor de rebanhos.

Abel olhou para a criação e soube discernir, que a cria do seu esforço, só pôde existir pela graça de Deus.

Ele reconheceu que o valor do pedaço de carne, não estava na sua gordura. Aquele pedaço de carne só é significante, saboroso e gorduroso, por que Deus o fez assim.

Quando Abel entregou sua oferta, o seu coração clamava para Deus assim:

“ Ó Deus!!! Quão grandes e perfeitas são as tuas obras!!! Como fico maravilhado, ao ver tua grandeza e majestade na perfeição desta carne, obra das tuas mãos!!! Quão maravilhoso és tu ó Deus!!! Criador do céu, da terra, das primícias do gado e da sua parte gorda!! ”

Abel foi aceito, pois mesmo sabendo, da total falta de valor da sua vida e oferta, ele se apresentou de bom grado perante Deus com um coração adorador.

Abel e sua oferta foram aceitos, pois se baseavam no fato de Deus ser extremamente misericordioso e compassivo, com uma criatura insignificante como o homem.

Abel e sua ofertam gritam a todos os pulmões:

“ Deus é, por isso alguma coisa nós somos!!! Toda honra e toda Glória seja dada a Deus!!!! ”

Abel e sua oferta gritam a todos os pulmões: “ Ó Deus!!! Sê propício a mim pecador!!!! Eu reconheço o meu nada, e perante o todo, reconheço que tu És!!!! Receba essa oferta das minhas mãos, como prova, que eu reconheço, que de ti Senhor, eu tenho recebido todo o bem. Pois tudo que tenho, tudo que sou vem do Senhor!!! ”

Porque Caim e sua oferta não foram aceitos? Porque Caim não foi contado como justo? Porque todo aquele que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado.

Caim queria honra. Caim queria ter mérito diante de Deus.


Caim, diferente de Abel, encheu-se de orgulho, virou sua oferta para Deus, e ela gritou a todos os pulmões: “ Veja Deus a obra das minhas mãos!!! ”

Abel estava convicto que Deus é.

Abel estava convicto que Deus é santo, honrado, glorioso, poderoso e majestoso.

Abel estava convicto que sua existência, e de tudo que o cercava era de acordo com a vontade de Deus.

Abel estava convicto que seus pais haviam pecado contra Deus, e que esse pecado acarretou corrupção na sua natureza.

Abel estava convicto de suas falhas e pecados, mas sabia que Deus seria rico em misericórdia, e que só em Deus está a solução.

Abel, antes da Cruz, já estava convicto da sua justificação, pois pela fé saudou de longe, a manifestação extrema do amor de Deus. A saber: O cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Jesus Cristo. Abel muito antes dos discípulos, viu a luz que ilumina o mundo!!!

Agora pergunto: Qual dos irmãos você seguirá o exemplo? Abel ou Caim?

Daniel de Oliveira Marques. Nascido em uma natureza corrompida em Adão, assim como Caim e Abel. Hoje nova Criatura, na mesma fé de Abel, onde em Cristo, todo o pecado e escrito de dívida, está consumado no Cordeiro imolado antes da fundação do mundo, por causa do amor extremamente misericordioso e compassivo do DEUS CRIADOR.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×
  • Jozias Fernandes Gomes

    Com certeza nossa oferta deve ser oferecida em gratidão, pois não somos merecedores da graça divina, mas a infinita misericordia do Senhor nos sustenta.

    • É uma luta diária. Nossa carne desjea ser reconhecida por seus méritos; mesmo que nāo haja mérito algum em nós mesmos.
      Achei muito próprias as palavras do Daniel.
      Começou bem.

    • Daniel de Oliveira

      Nossa felicidade e nossa satisfação como seres, só é real, quando temos a correta percepção do Pai e vivemos debaixo de sua vontade. Abel é um grande exemplo, principalmente levando em conta a época em que viveu. É triste que hoje, com a revelação plena do Pai em Jesus, tantas pessoas ainda queiram se submeter a escravidão do Pecado. Abel não tinha mérito, mas agora tem Deus como amigo. Como diz o autor de Hebreus em 11:16b. Deus não se constrange de ser conhecido como Deus desses homens que se humilham e consagram-se Nele. Nós nos aproximamos de Jesus humilhados, buscando salvação, e Ele nos fez seus co-irmãos e servos do Reino. Deus é muito bom. Faça um contraste com os orgulhosos Fariseus, e veja como nunca se assumiram como pecadores, e como Caim, tinham uma percepção de Deus totalmente errada. Abraços e obrigado pelo feedback. Deus nos abençoe.

  • Realmente é um caso sério a ser pensado. Quantas vezes nós “sacrificamos” com o intuito de que o Senhor veja nossos méritos nas doações, no esforço para que a igreja cresça e até mesmo nos esforços para socorrer os que precisam de salvação.

    Que nossa motivação seja sincera e aponte em uma única direção: O Senhor; pois só ele é Digno. É precisa enfiar na mente de uma vez por todas que Ele é e nós não somos.

    Parabéns pelo belo texto.

    • Daniel de Oliveira

      A satisfação Cristã não está no reconhecimento, pois quem sabe do que foi salvo, se satisfaz na oportunidade de poder servir. Obrigado por ter lido. Sei que não é fácil chegar no final. Kkkkk!!!!

Resistência Podcast © 2016