Cobrindo o Pecado.

11 de março de 2016

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

pecado arteEm Gênesis 9.20-29, está registrado a não tão famosa história sobre embriaguez de Noé, a atitude dos seus filhos, Sem, Cam e Jafé diante do fato e, por conseguinte, a profecia de Noé diante do posicionamento dos filhos.

A história do Dilúvio e a figura do servo obediente Noé são de conhecimento geral, e pelo peso dessa história outros fatos da sua vida acabam passando despercebidos, mas como nos ensina o Apóstolo Paulo: “Toda a escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.”
2 Timóteo 3.16-17.

Então firmados nessa verdade, abramos nosso coração para a boa semente do Evangelho de Cristo.

Como já disse antes, a figura de Noé é altamente forte, mas nesta passagem são as pessoas/figuras de Sem, Cam e Jafé o foco da narrativa. Suas atitudes e as consequências delas são fortes ensinamentos para o Corpo de Cristo, que muitas vezes se vê diante de erros, falhas, decepções e pecados, e por vezes, falha em exercer uma disciplina Bíblica, firmada no amor e no interesse Divino de salvar o pecador e reerguer o caído.

Nos versos de 20 a 21 o pecado de Noé é descrito, ele se embriaga e fica nu em sua tenda.

Verso 22: “VENDO a nudez do pai, Cam, FÊ-LO SABER, FORA, a seus dois irmãos.”

VENDO a nudez do pai – Há muita especulação sobre o real significado da visão ou observação de Cam; nenhuma delas me satisfez. Considero que em um texto prático e objetivo, deva fugir de informações que só trazem curiosidades e que pouco, ou mesmo nada, contribuem para edificação no Espírito Santo. Para tanto, na graça de Deus, vou seguir o caminho da “simplicidade”.

Nesta sociedade que existiu tão próxima dos primeiros pais, Adão e Eva, com certeza tinha a nudez como um forte estigma da queda. João Calvino, dissertando sobre Romanos 5, declarou que quando o pecado entrou no mundo, uma deturpação de valores tomou conta da alma humana, de modo que todos nós nos tornamos corrompidos, viciados, depravados e arruinados em nossa natureza. É inegável que a percepção de Adão sobre si mesmo foi mudada a partir da sua resolução de desobedecer a Deus. Pois o texto de Gênesis de 2, verso 25, deixa claro que viviam nus e não sentiam vergonha. A vergonha só surgiu depois da queda.

Cam pecou em procurar ver a nudez do Pai. Pecou, pois não agindo com prudência, permitiu-se contaminar com a atitude indecorosa do pai. Cam pecou, pois agiu com soberba diante da tentação, negando a sua fragilidade em Adão.

“…Eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo.” Gênesis 4. 7bFÊ-LO SABER, FORA, a seus dois irmãos – Uma das principais
funções da propagação do Evangelho de Cristo, é expor a prisão e o poder que o pecado exerce sobre a raça humana, e como a ira vindoura e o juízo de Deus permanece sobre os que, por espontânea vontade e consciência, não se arrependem, negando, ou não fazendo caso de tão grande salvação em Cristo Jesus, insistem em viver na desobediência.

Há vários relatos na escritura, onde Deus denunciou sua insatisfação com a humanidade. Outras figuras bíblicas, tais como os patriarcas, os juízes, os profetas, os reis e Próprio Senhor Jesus, denunciaram o pecado e conclamaram homens e mulheres ao arrependimento consciente.

Trago esse assunto ao tema discutido, Primeiro, por que hoje vivemos numa sociedade, seja ela secular ou religiosa, que não suporta a sã doutrina, de modo, que quando expomos a palavra, somos tratados como julgadores ou intrometidos, quando na verdade estamos exercendo com justiça a vontade do Senhor.

Segundo, para que possamos entender outra característica do pecado de Cam, pois não foi para trazer arrependimento e mudança, e nem por zelo, que Cam contou a seus irmãos o que ocorria com Noé.

Há um prazer deturpado na atitude de Cam. Que prazer é esse, se não o fato, de ele estar se divertindo com o pecado do seu pai? Cam tem interesse em trazer Humilhação para seu pai, não a que é segundo o Senhor, que faz brotar arrependimento para a salvação, mas uma humilhação conforme o curso da humanidade caída, que sente prazer na queda e ruína de outrem.

Não existe esse tipo de pecado infiltrado em nosso meio?
No pressuposto de ajudar um irmão caído, o mesmo tornar-se vítima de toda sorte de fofoca, fantasias variadas e julgamentos injustos?

Voltando

Na sociedade secular há o seguinte pensamento: “As pessoas não mudam com o tempo, elas se revelam.”

Concordo que para muitos, essa seja uma triste realidade, todavia, qual é o testemunho de Deus inspirado na escritura sobre Noé?

Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus. Gênesis 6.9

Pela fé, Noé, divinamente instruído acerca de acontecimentos que ainda não se viam e sendo temente a Deus, aparelhou uma Arca para a salvação de sua casa; pela qual condenou o mundo e se tronou herdeiro da justiça que vem da fé. Hebreus 11.7

Noé é o servo justo, íntegro, temente, obediente e herdeiro da Justiça ou o bêbado indecoroso?

Esse é um erro que muitos de nós praticamos. Na verdade, uma vergonha para o corpo de Cristo. Olhamos um irmão cair, e por uma queda, um deslize, uma falha somente, e o temos como pecador inveterado, excluído do Reino de Deus, esquecendo que Cristo começou nele uma grande obra.

Segundo alguns cálculos feitos por mim, Noé dedicou-se no espaço de 100 anos da sua vida, na educação de seus filhos e na construção da Arca. Isso em meio a uma sociedade totalmente depravada.
Durante o primeiro ano depois de sair da Arca, ocorreu esse incidente.

Esses fatos nos levam a perguntar: Quem Cam pensava que era para sujar a imagem do servo do Senhor?

Quem Cam pensava que era para negar todos os anos de obediência de seu pai?

Quem Cam pensava que era para negar-se a ajudar?

Quem somos nós para destruirmos, e não zelarmos por aqueles comprados pelo sangue de Cristo?

Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? Romanos 8.33

O pecado não deve ser tolerado, mas devemos saber julgar os casos e os irmãos com justiça. Diferenciar um deslize, ou um momento de fraqueza da total rebelião contra Deus. Qual o interesse de Deus? Trazer arrependimento ou condenação? Esses discernimentos são essenciais para o bem do corpo de Cristo.

“O que acham vocês? Se alguém possui cem ovelhas, e uma delas se perde, não deixará às noventa e nove nos montes, indo procurar a que se perdeu? E se conseguir encontrá-la, garanto-lhes que ele ficará mais contente com aquela ovelha do que com as noventa e nove que não se perderam.
Da mesma forma, o Pai de vocês, que está nos céus, não quer que nenhum destes pequeninos se perca”. “Se o seu irmão pecar contra você, vá e, a sós com ele, mostre-lhe o erro. Se ele o ouvir, você ganhou seu irmão.
Mas se ele não o ouvir, leve consigo mais um ou dois outros, de modo que ‘qualquer acusação seja confirmada pelo depoimento de duas ou três testemunhas’. Se ele se recusar a ouvi-los, conte à igreja; e se ele se recusar a ouvir também a igreja, trate-o como pagão ou publicano. (Uma pequena observação sobre esta última sentença: Descoberta a não disposição em se arrepender, o dito “irmão” não deve ser esquecido, mas deve ser tratado, como alguém que ainda não foi alcançado pela genuína conversão, de modo que o mesmo deve ser foco novamente da exposição do Evangelho, e das orações a fim de que se converta realmente.) Mateus 18.12-17

Vejamos agora a diferença entre Sem e Jafé em relação à Cam.

Verso 23: Então, Sem e Jafé tomaram uma capa, puseram-na sobre os próprios ombros de ambos e, andando de costas, rostos desviados, cobriram a nudez do pai, sem que a vissem.

Tomaram uma capa, puseram-na sobre os próprios ombros de ambos – O amor Deus por nós, nosso amor a Deus e ao próximo é a essência da nossa fé. A atitude de Sem e Jafé nos lembram, que somos capazes pelo poder do Espírito Santo, de nos

responsabilizarmos em zelar pela vida espiritual uns dos outros, exortando, perdoando, aconselhando e convencendo do pecado. Isso é ser Corpo.

Andando de costas, rostos desviados, cobriram a nudez do pai, sem que a vissem – Há um grande ensinamento na atitude de Sem e Jafé. Ao andarem de costas, com o rosto desviado, além de se protegerem da tentação e do pecado, eles preservaram a imagem do pai Noé em seus corações. Isso não era negação do que estava ocorrendo, mas eles sabiam quem, e que tipo de pessoa seu pai era.

Quantos de nós, já não falhamos justamente aqui? Quantas amizades desfeitas, quantas brigas e quantas contendas, só porque absorvemos uma imagem ou um momento de alguém, que não representa a realidade da pessoa, e por fim, esquecemo-nos dela como nova criatura em Cristo Jesus.

AH!!!! Como é injusta a balança do nosso coração!!!!

Se não conseguimos nem desviar o rosto, mas fantasiamos sobre um momento, o que dizer sobre cobrir a nudez? Sem e Jafé, nos dão mais uma vez uma lição sobre misericórdia, benevolência e amor. Pois Assim como Deus cobriu a nudez de Adão e Eva, eles cobriram a nudez do pai.

O Nosso Senhor Jesus nos ensina: “Novo mandamento vos dou: QUE AMEIS UNS AOS OUTROS; ASSIM COMO EU VOS AMEI, QUE TAMBÉM VOS AMEIS UNS AOS OUTROS. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: SE TIVERDES AMOR UNS PELOS OUTROS.” João 13.34-35

Agora vamos tratar de mais um segmento da narrativa, onde tiraremos lições da Benção e Maldição proferida por Noé. Sei que houve implicações imediatas a Sem, Cam, Jafé e aos seus descendentes, todavia, mas que o valor específico nas pessoas dos filhos, existe o valor arquétipo, pois mesmo hoje, na atual conjectura de sociedade globalizada e de Israel/Igreja na era da Graça, homens e mulheres continuam seguindo o mau exemplo de Cam e o bom exemplo de Sem e Jafé.

Entendamos a Benção e a Maldição, a Luz da Graça.

Noé volta a sua realidade despertando do seu vinho, e sabendo o que seu filho mais novo fizera declarou:

Verso 25: Maldito seja Canaã; seja servo dos servos a seus irmãos.
Escravo é outro termo semelhante a servo, fazendo uso deste termo, Jesus em um dos seus embates expositivos com os fariseus, dissertando sobre o pecado e a natureza humana, tomou o povo judeu como exemplo, e causou muito desconforto ao declará-los como escravos. Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado. João 8.34. O Pecado é uma realidade, e se não buscarmos em Deus, não seremos capazes de vencê-lo.

Veja o exemplo de Noé: Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; NOÉ ANDAVA COM DEUS.

Não pense você, que Noé foi um homem bom e justo na sua geração, por força própria, ele buscou em Deus o poder e sabedoria para ser um homem justo.

A síntese dessa maldição está no fato de que os servos de Deus, pelo poder do Espírito Santo, exercem o domínio próprio, e reduzem a escravidão a natureza carnal, dando a primazia ao Espírito, e assim praticam boas obras para Glória de Deus Pai.
Já os imitadores de Cam, não buscam em Deus esse poder, mas se entregam a prática do pecado, provando-se escravos da natureza corrompida.

Mas esmurro o meu corpo e o reduzo a escravidão, para que, tendo pregado aos outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado. Coríntios 9.27

Verso 26a: E Ajuntou: Bendito seja o Senhor, Deus de Sem;…
Há uma grande graça e consolação nessa Benção, pois como corpo de Cristo, capacitados e comissionados a fazermos as boas obras de Sem, somos agraciados com a mesma identificação direta com Deus. O Autor de Hebreus no Capítulo 11, verso 16b, nos ensina que Deus não se envergonha de seus servos, e nem de ser chamado o seu Deus. O Senhor e seus servos vivem em unidade, comunhão e identificação mútua.

Verso 27a: Engrandeça Deus a Jafé, e habite ele nas tendas de Sem;…
Outra graça e consolação, para nós, que não esperamos nada deste mundo caído, mas esperamos pelo dia da manifestação de Jesus; neste dia maravilhoso, seremos transformados e seremos como ELE É, e viveremos no novo Céu e Nova Terra.

Observem que há plena paz e comunhão entre os servos do Senhor, prefigurados nas pessoas de Sem e Jafé. A tão citada Igreja do livro de Atos, em seu início viveu essa realidade. Lá todos tinham tudo em comum, partiam o pão de casa em casa, se preocupavam com as necessidades uns dos outros e permaneciam no fundamento e ensino dos apóstolos, a saber, Jesus. Vejam como muitas vezes, deixamos de viver dias de paz, alegria, amor e comunhão, porque seguimos o exemplo de Cam. Temos que não somente desejar, mas viver essa realidade.

A narrativa encerra-se com uma informação sobre Noé. Vejamos o que o Senhor nos ensina através desse fato.

Verso 28-29: Noé, passado o dilúvio, viveu trezentos e cinqüenta anos. Todos os dias de Noé foram novecentos e cinqüenta anos; e morreu. A última lição que podemos usufruir desse versículo é a seguinte: PODE EXISTIR VIDA APÓS O PECADO.

Noé foi um homem íntegro e justo, em grande parte de sua vida. Ouve um momento de fraqueza e um pecado, mas seus filhos cobriram sua vergonha até que ele voltasse a si, e ele viveu muitos anos, servindo ao Senhor novamente em Justiça, integridade e em fidelidade.

Ficam as perguntas:
Quem somos nós para declararmos o fim e a perdição de alguém, quando nem mesmo todos os recursos para convencer o irmão do pecado foram utilizados?

Porque gastamos nossos recursos levando pessoas para o inferno, quando deveríamos tirá-las de lá a todo esforço?

Essa passagem da Bíblia veio diretamente ao meu coração, e expôs um erro que todos cometemos.

Como esperamos salvar o mundo, se não salvamos e não perdoamos os nossos irmãos. Como podemos amar a Deus a quem não vemos se não amamos a quem vemos?

Precisamos mudar, ou caso contrário, nos revelaremos como descendentes de Cam; Homens de coração duro, orgulhosos, incapazes de perdoar e escravos do Pecado.

Quando praticamos o perdão e a luta em favor de nossos irmãos e pecadores em geral, fazemos uso de uma grande oportunidade, para em nós, praticarmos o morrer da natureza carnal. Pois é nela que reside o orgulho, a vaidade, a soberba e a ira, esses, responsáveis por toda contenda em nosso meio e de todo mal percebível no mundo.

Deus nos abençoa e nos adverte com a exposição deste pecado, para que cresçamos em obediência e amor em boas obras. Arrependemo-nos e façamos o certo.

Meus irmãos, se alguém entre vos se desviar da verdade, e alguém o converter, sabei que aquele que converte o pecador do seu caminho errado, salvará da morte a alma dele e COBRIRÁ MULTIDÃO DE PECADOS. THIAGO 5.19-20

Daniel Oliveira. servo. Não por medo do inferno, nem por vislumbre do loteamento celestial, mas por uma consciência livre de ser no evangelho de Jesus.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×
Resistência Podcast © 2016