RP#20 – O SILÊNCIO DE DEUS

20 de abril de 2016

0 Flares Filament.io 0 Flares ×


Fala Resitência! Episódio nº20 no ar e nós vamos falar sobre o silêncio de Deus como resposta às nossas orações. Como interpretar o silêncio quando apresentamos nossos problemas diante Dele? Será que Deus não nos ama? Será que esse silêncio realmente significa ausência de resposta? Como continuar fiel em meio ao silêncio de Deus? Como se relacionar com um ser invisível? Estas e muitas outras questões são debatidas nesse programa.

Equipe composta por aqueles que sentem coceira ao ficar em silêncio durante a gravação: Rodrigo Oliveira, Elane Souza, Rodrigo Muniz e Will Soares.

Comentado no episódio:
Livro: Se Deus existe e é amor, por que tanta gente sofre? – Luiz Waldvogel
Livro: O Deus (in)Visível – Phillip Yancey
Livro: O fator Melquisedeque – Don Richardson
Antiga arte da vitrine, citada pela Elane no episódio.

Playlist do episódio:
Marcelo Geneci – Felicidade
Bethoven – Silence
Amazing Grace
Stephen Van Handel – Einar Stray
Give Thanks Instrumental
The Lautsprechers – Ester
Johnny Cash – God´s gonna cut you down
Jónsi – Why not
Ennio Morricone – Il Pinguino

Participe comentando e deixando sua opinião por e-mail (resistenciapodcast@resistenciapodcast.com), Whatsapp (021 99277-0736) ou nos comentários da postagem. Seu comentário é o nosso salário.

Ouça o Resistência Podcast no SPOTIFY

Fique por dentro de lançamentos e sorteios, seguindo-nos em nosso Instagram

Participe da Confraria Resistência no WHATSAPP

Nos escreva um e-mail através do endereço resistenciapodcast@resistenciapodcast.com e participe enviando suas impressões, dúvidas, criticas e sugestões de temas para episódios

  • Daniel de Oliveira

    Normalmente eu faço um pequeno estudo para o Podcast. Achei interessante compartilhar com a galera. Sei que no cast, nem todos esses temas foram abordados, mas espero que ajude de alguma forma.

    O Silêncio de Deus e o Sofrimento Cristão.

    Por que Deus falou diretamente com algumas pessoas na Bíblia?

    Porque o homem se afasta de Deus com muita facilidade, então Deus se revelou mais “explicitamente” em certas figuras, para que sua vontade se estabelecesse na terra.

    A criação do Homem nos revela uma vontade em Deus de ser relacionar. Não que Deus se sinta sozinho, ou precise de amigos. Deus não precisava criar o universo para se sentir melhor, nem mesmo necessitava experimentar algum relacionamento, pois em seu ser, Deus já é completo e relacionável. Deus demonstra sua graça, benevolência e amor ao criar os seres humanos ou qualquer ser, sem precisar, e estendendo a eles a possibilidade de conhecê-lo. Deus apareceu a Adão para fazer-se conhecido ao mesmo. Mostrando que era Deus, impôs sobre Adão que o mesmo, reconhecesse seu estado de criatura privilegiada através de um pacto de confiança e obediência. Nesse estado de submissão e confiança voluntária na pessoa de Deus, está o segredo da verdadeira vida e manutenção da existência. Adão não deu mérito a este relacionamento, trazendo todo tipo de mal para sua descendência. A partir de então, Deus começa a revelar-se com o propósito de reatar com a humanidade. Com a queda, o homem se tornou pecador, desobediente e inconstante. Sendo assim, para que o projeto de redenção fosse executado, Deus interveio na história na humana, revelando-se aos homens progressivamente.
    Deus manteve contato com:

    Pré-patriarcas: Adão, Abel, Sete e Noé. Após a queda, Deus concede misericórdia às primeiras gerações de homens, uns conseguem corresponder à graça do pré-conhecimento que Deus revelou, outros afundam no pecado e na corrupção.

    Patriarcas: Abraão, Isaque e Jacó. Em sua época o conhecimento de Deus já estava obscurecido pelas religiões e práticas pagãs da imaginação humana e do engano de Satanás. Vale lembrar que Abraão é descendente direto de Sem, filho de Noé. Ou seja, uma família que foi salva na figura de Sem, esqueceu do Deus que os salvou do grande dilúvio, por Isso Deus comparece a Abraão, e ordena que ele se afaste da casa de seu pai. Surge a grande promessa, que através da descendência de Abraão, todas as nações seriam abençoadas, pois de sua prole, nasceria Jesus, o messias Salvador da humanidade.

    Moisés e Josué: 400 anos de escravidão e contanto com as religiões egípcias contaminaram a mente dos hebreus, era necessário que Moisés se levantasse como uma figura forte, e através do testemunho dele, o Deus de Abraão, Isaque e Jacó, juntamente com suas promessas voltasse ao conhecimento do povo. Surge a Lei, que através de normas, rituais e cultos demonstram o caráter Santo, Justo e misericordioso de Deus.

    Juízes: Não havia rei em Israel, e cada um fazia o que era “certo” aos seus olhos. Fica claro que o povo esqueceu-se de Deus, de Moisés e da lei. Através dos castigos impostos por outros povos, Israel lembrava e recorria a Deus, o mesmo se manifestava nas figuras dos juízes trazendo salvação. O povo voltava a ser fiel, mas só era um juiz falecer, que o povo voltava ao pecado.

    Reis: O povo persiste na infidelidade, rejeita a Samuel, o último juiz, rejeitando a vontade de Deus. Deus em resposta permite a monarquia em Israel. Mas por trás das figuras reais, operava a figura Real de Cristo. O Rei que conduz o povo para a obediência e pleno relacionamento com Deus. Davi se destaca como Rei de Israel, por sua dedicação a Deus, e em fazer o povo a seguir seu exemplo de obediência. Outros Reis não tiveram o mesmo zelo, e promoveram a idolatria e afastamento de Deus.

    Profetas: Profetizaram contra a idolatria, injustiça, e todo o pecado da agora divida nação em Israel e Judá. Profetizaram castigos e um novo período de escravidão. Todavia falaram da figura messiânica que Libertária o povo e restauraria o culto a Deus.

    Jesus e os apóstolos: Jesus é a revelação plena de Deus, é também o cumprimento das profecias, e promessas de Deus e dos rudimentos e sombras dos cultos da Lei. Os Apóstolos dão prosseguimento ao trabalho de Cristo e conclamam o Evangelho do arrependimento para a salvação. Sendo Jesus a revelação plena de Deus e da sua vontade, seus ensinamentos tanto na sua vida terrena, e após a ressurreição foram repassados pelos Apóstolos. Assim não é mais necessária nenhuma manifestação especial de Deus, pois tudo o que nos era necessário foi revelado.

    Deus está em silêncio, ou é a Bíblia que anda fechada?
    Existem situações em que precisamos de resposta, ou de direcionamento. Como Cristãos indagamos a Deus e ficamos a esperar sua resposta. Paulo nos ensina que: “Toda a escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.” 2° Timóteo 3.16-17.
    Muitos confiam na escritura, mas não sabem usá-la. Fazem uso dela, como um cartomante faz das cartas. A Bíblia não funciona como uma sorte para hoje, a Bíblia nos capacita para a vida como um todo. São enumeras histórias e vários exemplos. Há muita informação, que sendo analisadas e filtradas pelo Espírito Santo, podemos praticar confiantes no resultado. Estamos às vezes buscando uma resposta de Deus, mas nem analisamos a quantidade de informação que já nos é oferecida. O homem vive mal, pois lhe falta conhecimento de Deus. Jesus é a revelação de Deus. Onde encontramos o que ele pensa, sobre comer e beber, casamento, vida, dinheiro, poder, estado, pecado e etc? Nos registros dos seus apóstolos. Não podemos buscar respostas alternativas, quando nos é fornecido grande fonte de pesquisa para nosso Crescimento e amadurecimento. Claro que Deus pode nos falar, ou ensinar por outros meios, o próprio Espírito Santo trabalha em nós o amadurecimento e crescimento, mas tendo acesso a escritura, não devemos desprezá-la.

    Porque Sofremos?
    Porque mesmo salvos em Cristo, e mesmo tendo nos tornado novas Criaturas do Reino, esse reinado de Cristo, ainda não alcançou todos os estágios.
    Por causa de pregações triunfalistas, que distorcem o propósito do Evangelho, muitas pessoas creem que ao se tornarem crentes, estão imunes aos males desta vida, mas se esquecem:

    1- Vivemos num mundo caído, onde o pecado é a lei. Somente quando Cristo voltar, não seremos mais vítimas das calamidades, desordens e injustiças desta sociedade. Lembrem de Ló, que segundo o parecer do apóstolo Pedro, foi considerado Justo, pois mesmo vivendo oprimido com as atitudes dos incrédulos, perseverou, mantendo-se fiel a Deus, sendo salvo da Justiça que caiu sobre Sodoma e Gomorra. Abel mesmo tendo achado graça diante de Deus foi morto por Caim, Noé foi desonrado pelo próprio filho, Abraão teve que omitir que Sara era sua Esposa para que não fosse morto, Isaque teve uma esposa estéril e seus poços foram tampados, Jacó fugiu da ira de seu irmão e foi enganado pelo sogro, José foi vendido pelos irmãos, Moisés foi colocado num cesto para que não morresse, Moisés foi contrariado pelo povo e por seus irmãos, Sansão foi traído pela esposa, Davi foi perseguido por Saul e pelo próprio Filho, Profetas foram mortos por falarem a verdade, Jesus foi caluniado, insultado, traído por um discípulo, entregue a morte num julgamento injusto e condenado a morte. Embora tudo tenha sido parte do plano de Deus, os sofrimentos de Cristo para salvar o mundo, são provas suficientes que enquanto esse mundo caótico existir, tribulações as mais variadas sofrerão aqueles que vivem para o Reino. Por fim, temos os apóstolos, que assim como seu Mestre e Senhor, foram perseguidos, humilhados, caluniados, insultados perseguidos, condenados e mortos. A Bíblia está cheia de exemplos de como a fidelidade a Deus, não nos garantem imunidade. Claro que Deus esteve sempre no controle, e muitas vezes intervêm na vida de seus servos, mas os percalços da vida, não afetaram em nada o projeto de Deus e nem a fidelidade desses homens.

    2- O Pecado trouxe para a humanidade a realidade da morte e doenças. Mesmo que sejamos salvos, a redenção do nosso corpo é futura, e só se dará na volta de Cristo. Paulo nos ensina que temos um grande tesouro, a saber, a vida no Reino conforme o Evangelho, mas temos esse tesouro em vasos de barro, se referindo primeiro a nossa natureza humana fraca, e segundo, ao nosso corpo físico frágil. Nessas duas realidades a graça da salvação em Cristo se manifesta de modo, que a excelência do seu poder em nós opera, primeiro para o nascimento espiritual da nova Criação a imagem de Deus, e segundo, para a ressurreição de nosso corpo.

    3- As atribulações da vida, sejam doenças ou perseguições cooperam para o amadurecimento na fé, aumentam a confiança e dependência de Deus, e nos desapegam desta realidade, nos movendo a esperar o novo céu e a nova terra.

    Qual a função dos milagres?
    Primeiro devemos definir o que é milagre. Milagre é um evento sobrenatural, o qual não pode ser comprovado ou produzido naturalmente. Um nascimento de um bebê não é um milagre, pois seguiu o curso natural da vida no que diz respeito à concepção, milagre é nascer um bebê de um ventre estéril. Milagre é um evento extraordinário do poder de Deus. Tudo neste universo opera pelo poder de Deus, o milagre não é diferente no que tange ao poder de Deus, pois esse mesmo poder, que faz o Sol seguir seu curso, é o mesmo que opera o milagre. O milagre difere dos demais atos de Deus no que diz respeito a sua atuação e propósito. Por exemplo: Nos dias do cativeiro egípcio, tantos hebreus como egípcios declaravam que suas divindades dominavam o cosmo. Mas só o Deus Hebreu provou que controlava o universo, fazendo grandes sinais no meio do povo.

    O milagre tem a função de servir de sinal. Os milagres de Moisés serviram de sinal para que o povo acreditasse que o Deus de Abraão, Isaque e Jacó era com ele. Os Milagres de Cristo provavam que ele era o Messias. João, ao ouvir na prisão o que Cristo estava fazendo, enviou seus discípulos para lhe perguntarem: “És tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro? ” Jesus respondeu: “Voltem e anunciem a João o que vocês estão ouvindo e vendo:
    os cegos vêem, os mancos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e as boas novas são pregadas aos pobres; e feliz é aquele que não se escandaliza por minha causa”. Mateus 11:2-6

    Os milagres acompanharam os apóstolos em seus ministérios para confirmar suas palavras e evidenciar o poder de Deus atuante através do evangelho. Sem os milagres, e os variados dons do Espírito, a Fé em Jesus não passaria do grupo de 120 pessoas para os confins da terra. Havia muita oposição e perseguição, para tanto, Deus operou poderosamente através dos apóstolos para que a palavra fosse conhecida. Mas cabe ressaltar, que nenhum dos apóstolos excedeu Jesus em quantidade de Milagres. E que após o firmamento das Igrejas, a operação de milagres diminuiu na vida dos apóstolos.

    Outra Função do Milagre é condenar a falta de fé. Os Hebreus foram julgados, por não permaneceram fieis, mesmo Deus dando prova do seu poder. Os Fariseus também foram severamente criticados, por permanecerem duros diante de tantas provas que Jesus era o messias, o filho enviado de Deus.

    E os Milagres Hoje?

    Sim, eles existem. Mas não na mesma proporção dos dias dos Grandes Profetas, de Cristo e dos Apóstolos.

    Evidência factual: Hoje a grande quantidade de milagres são armações para enganar multidões.
    Os milagres de Jesus e dos Apóstolos, eram curas milagrosos como: cegos de nascença, aleijados, coxos, surdos e etc. Hoje é considerado milagre: curas de dor de cabeça e dor nas costas e etc.

    Evidência Bíblica: Os apóstolos fizeram grandes manifestações de poder, mas essas manifestações não subsistiram por todo o ministério. Timóteo sofria de problemas estomacais, e mesmo assim não foi curado por seu tutor Paulo. Trófimo, outro cooperador de Paulo, foi mencionado pelo mesmo, como doente, e que Paulo não pode intervir em seu mal, deixando-o acamado precisando de amparo. Esse é o mesmo Paulo que teve seus lenços roubados, para que enfermos fossem curados. Faltava fé para Paulo fazer milagres, ou ele era um servo obediente, que entende os propósitos de Deus nos milagres? Vemos nesta pequena porção bíblica, como Deus é soberano no que diz respeito a milagres e curas.

    E as grandes obras que Jesus falou que faríamos?
    Jesus nesta profecia, não estava se referindo a milagres e poderes, mas a expansão da sua obra salvadora. Jesus operou poderosamente, todavia, grande parte de sua obra foi dedicada à nação de Israel. Quando buscado por estrangeiros, disse que ainda não era o tempo deles. Após sua rejeição, morte e ressurreição, Cristo comissionou que os apóstolos levassem além de Israel a mensagem do Reino de Deus. Essa é a grande obra que Igreja faz, estender o Reino de Deus por todo o mundo.

    O Perigo de ter uma fé baseada em milagres.
    Um dos fatos essenciais da Vida Cristã é a fé. Pela fé cremos na Bíblia como relato verdadeiro de Deus. Pela fé cremos na ressurreição dos mortos. Pela fé cremos no perdão de pecados na morte vicária de Jesus. Mas há um grande perigo, quando colocamos nossa fé baseada em milagres. Normalmente os milagres são pedidos por pessoas que chegaram ao último estado possível de ação humana, e que agora só dependem de uma intervenção Divina. O problema não está em pedir a Deus milagres, mas condicionar o amor de Deus a um resultado que seja do meu agrado. Ainda que sejam grandes as consolações, e provas do amor cuidadoso de Deus por nós, os milagres não são a maior prova, e nem o propósito do amor de Deus. A maior prova do amor de Deus foi ele ter dado seu Filho para que morresse em nosso lugar.
    Somente na vida de Cristo que todas as promessas de Deus são realidades. Não existe novo céu e nova terra, sem antes ter cruz. Não existe novo nascimento, sem antes nosso velho homem ser encravado na cruz.

    Jesus operou grandes milagres, deu de comer duas vezes a duas grandes multidões, mas as advertiu severamente, pois elam iam atrás dele com interesse na comida, não na vida eterna. Viver de milagres não é amadurecer, pois todos comeram o maná no deserto, e caíram mortos. Deus não nos ama, porque mantém nossa saúde, ou nosso emprego, ou a vida de nossos filhos, ou um ventre fértil em nossas esposas. Deus nos ama porque ele nos salvou da sua ira, nos dando vida quando estávamos mortos em pecados.

    “Saí nu do ventre da minha mãe, e nu partirei. O Senhor o deu, o Senhor o levou; louvado seja o nome do Senhor “.
    Jó 1:21

    Mesmo não florescendo a figueira, não havendo uvas nas videiras; mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos,
    ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação.
    Habacuque 3:17,18

    Abraços Galera da Resistência.

    Material de consulta: As Grandes doutrinas da Graça. Volume 1 – A Bíblia e o Ser de Deus. Autor: Pr Leandro Lima.

  • Allan

    Fala minha gente! sinto que quando falamos do silêncio de Deus, dá uma certa tristeza e um ar de desamparo né? quando experimentei este silêncio, na verdade foi um AGUARDE! Que foi necessário e ótimo para o meu EU(amadurecido) de hoje! Obrigado Deus! vlw gente!

    • Fala aí, Allan.
      Realmente, esperar em Deus é um exercício de fé, que contribui muito para o nosso amadurecimento. É necessário deixarmos de ser filhinhos mimados (playboys gospel) do Pai kkkk.
      Abração e muito obrigado pelo teu feedback!

  • Elaine

    Estou muito feliz por ter descoberto esse podcast, vocês alegram meus dias no trabalho agora 🙂 e quanto ao assunto em questão, concordo com o que foi falado, passei algumas vezes pelo deserto e experimentei o silêncio de Deus, mas tudo serve para o nosso crescimento e aprendizado, gosto de quem sou hoje e o que proporcionou isso foram as situações que aconteceram comigo, enfim, Deus tem os seus caminhos e os caminhos Dele são melhores e incomparáveis ao nosso. Abraços!

    • Olá, Elaine!
      Como é bom saber que o nosso Podcast tem servido para alegrar seus dias no trabalho. Se ouvir um por dia, de segunda a sexta, essa alegria vai durar cerca de um mês kkk.

      Mas falando sério, o dia mau chega pra todos nós, é fato, mas saber que não estamos sozinhos é confortante!

      Muito obrigado pelo teu feedback.

    • Daniel de Oliveira

      Muito obrigado pelo seu feedback Elaine. Com certeza aprendemos muito nesses momentos atribulados. Nesses momentos também temos a oportunidade de crescer na fé e no conhecimento, assim, amadurecemos em Deus. Que este podcast continue sendo um parceiro na fé Cristã. Mais uma vez, muito obrigado. Ficamos extremamente felizes quando nos deixam depoimentos. Abraços.

  • Que bom que curtiu, Eddie, fico feliz.
    Obrigado pelo teu feedback e pela canção do Metal Nobre.
    Super Abraço!

  • Fala pessoal! Ótimo papo. Eu também já passei por essa fase, do silêncio de Deus. Depois aprendi a entender isso, mas na primeira vez não foi fácil. De fato, isso me fortaleceu e me ajudou a amadurecer. Uma música que me lembra isso sempre é “O silêncio de Deus”, da banda Metal Nobre:

    https://www.youtube.com/watch?v=RKc2e0qqpFo

    Abraço
    EddieTheDrummer (PADD)

    • will soares

      Todos estamos sujeitos a esses dias e só nos resta sermos fortes e corajosos!
      Que bom que gostou desse episódio! Compartilhe com mais pessoas e que possamos nos ajudar sempre!
      Abraços Ed!

Resistência Podcast © 2016