RP#77 – IGREJA RELEVANTE

19 de março de 2021

0 Flares Filament.io 0 Flares ×


Fala Resistência, chegamos ao episódio 77 e nós recebemos o queridão Jader Medeiros, pastor da igreja Batista em Amparo, no Sertão da Paraíba, igreja essa fundada em 2010, e que serve também de base para o projeto de “missões e louvor” intitulado Conexão Ide. E juntamente meu grande amigo Will Soares nós batemos um papo sobre a relevância da igreja em tempos de pandemia.

Comentado no episódio:
RP 36 – Evangelizando o Sertão
Instagram Conexão Ide
Site do ministério Conexão Ide

Seja um mantenedor do Resistência Podcast, contribua com esse ministério.
Chave PIX:
pix@resistenciapodcast.com

Ouça o Resistência Podcast no SPOTIFY

Fique por dentro de lançamentos e sorteios, seguindo-nos em nosso Instagram

Participe da Confraria Resistência no WHATSAPP

Nos escreva um e-mail através do endereço resistenciapodcast@resistenciapodcast.com e participe enviando suas impressões, dúvidas, criticas e sugestões de temas para episódios

  • Ótimo episódio, apesar de discordar da posição do pastor Jader sobre as limitações para as igrejas, diante da pandemia. Entendo que a realidade dele e das pessoas da congregação dele pode ser diferente, mas o isolamento não é uma forma de perseguição, mas de cuidado. Precisamos (devemos) congregar, mas cada Cristão precisa fazer sua parte e não depender apenas do culto de domingo, porque se esperar só por isso, não é lá que vai encontrar Deus.
    Mas é um tema complexo pra discordar, porque sempre abre margem para interpretações incorretas do que queremos dizer.
    Abraço!

    • Concordo, Eddie.
      Devemos fazer nossa parte, com consciência, amor e respeito.
      Entendo que a posição do convidado se dá com base na realidade em que ele está inserido.
      Abração

    • Jader Medeiros Jr.

      Fala Edu! Valeu por teu feedback mano. Então… se você partir do ponto de vista que “isolamento, lockdown e outras medidas restritivas funcionam no combate ao vírus” dá pra entender a sua discordância. Porém minha fala parte do princípio de que tais ações, apesar do que a mídia militante faz parecer, estão longe de ser consenso científico e que os dados deixam claro que, além de não ajudar em nada, só causam mais problemas. Não fosse assim cidades restritivas seriam as mais eficazes em redução de números. O que sabemos não é verdade. Logo não faz sentindo impor algo (não apenas às igrejas) que não tem funcionado em lugar algum. Não quis aprofundar esse assunto no podcast por pensar que esse não era o objetivo. Mas percebo que corri o risco de não expor totalmente as razões das minhas convicções. Como disse, não há consenso. Alguns na dúvida preferem “pecar por excesso de cuidado”. Eu prefiro não pecar por omissão de ação. E luto por direitos constitucionais que não podem ser tolhidos por decretos inconstitucionais com vista em muita grana e sob pretexto de cuidado.

      • Obviamente o isolamento não combate o vírus, mas ajuda a controlar a propagação (assim como é feito com qualquer doença contagiosa, como sarampo, por exemplo). O fato que não temos redução é porque as pessoas não cumprem as normas. O sistema de saúde da minha cidade tá pagando por isso, pois no final do ano passado e início desse ano as pessoas “esqueceram” do covid e a UTI do hospital tem trabalhado acima dos 100% de capacidade (tiveram que transformar salas de recuperação em UTI também) a mais de um mês. Se cumprissem, então poderíamos avaliar, mas essa não é uma realidade. O que quero dizer é que as pessoas só pegam o vírus porque alguém levou até elas. Dentro da minha casa, sem contato externo, é impossível pegar. Não precisa de pesquisa científica, é lógica.
        Mas o meu ponto nem foi se o isolamento é eficaz ou não, mas sim sobre tratar tudo isso como perseguição. Como eu disse, a realidade de vocês é diferente, então aí as coisas podem ser diferente. Por isso reitero que discordo que isso é uma forma de perseguição à igreja. Pelo menos aqui, as igrejas ainda tem a liberação de poder se reunir com limitações e observando os cuidados. Se isso fosse perseguição, deveríamos considerar que todos estariam sendo perseguidos, inclusive o pessoal que só quer se reunir com amigos pra festejar. Creio que tomar os devidos cuidados é antes uma forma de cuidado com a saúde do membros e contribuir com a sociedade. Cada um cuidar de si e do próximo. Quanto à questão espiritual e mental, nada nos impede de pastorear, nos relacionar, adorar, louvar e cultuar a Deus, sem aglomerações e com os devidos cuidados para controlar a propagação do vírus. E isso eu concordo que é necessário, pois cristianismo não se vive individualmente.
        Oremos para que isso passe e que possamos crescer espiritualmente com tudo isso. Que esse momento possa fortalecer as pessoas na fé, possa trazer a esperança de Cristo aos aflitos e que possamos todos ver quão grandioso é o nosso Deus.

        • Jader Medeiros Jr.

          Nunca tivemos vagas de UTI sobrando na história do nosso país. A maioria dos internados em New York estavam em casa e só pediam as coisas por delivery. Muitos amigos meus que pensam como você pagaram em casa. O número de óbitos gerais anuais teve pouca e em alguns lugares nenhuma alteração. Doenças respiratórias são diariamente reclassificadas como Covid. As mortes que por essa doença infelizmente existem (não as que dizem existir com números fraudados ou reclassificação nominal) em sua maioria ocorrem por omissão de socorro e falta tratamento precoce. Como vê, o mundo está dividido e não há como chegar a um consenso pois ele não existe nem entre a turma da ciência.A perseguição não é apenas religiosa. É também ideológica e política. O Vírus foi apenas uma moeda que veio muito a calhar nessa máquina de caça níquel. Mas faça o seguinte: fique em casa pois sei que é o que você acredita ser o melhor e respeito isso. Eu vou continuar saindo pois é o que eu acredito ser o melhor. Abraço mano.

Resistência Podcast © 2016